Senador Omar Aziz diz que AI-5 de Eduardo Bolsonaro vai trocar capitão por general na Presidência da República

Em discurso no Plenário do Senado nesta terça-feira, 5, o senador Omar Aziz (PSD/AM) elogiou a nota oficial do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e igualmente condenou recente fala do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL/SP) sobre a possibilidade de reedição do Ato Institucional 5 (AI-5), instrumento editado em 1968 que tornou ainda mais brutal a ditadura militar iniciada com o Golpe Militar, em março de 1964. “Uma coisa que o deputado Eduardo Bolsonaro tem que entender é que, se existisse o AI-5, com certeza o presidente do Brasil não seria um capitão; seria um general, que está dando apoio a isso. Quem tem que estar alerta a isso, a essa declaração do Eduardo, é o próprio presidente Bolsonaro, porque a partir do momento em que o Eduardo Bolsonaro prega o AI-5, quem vai ser presidente no AI-5 não vai ser capitão, não; vai ser general! Vai ser general!”, discursou Omar Aziz.

Davi Alcolumbre classificou de  “absurda”, “retrocesso” e “afronta inadmissível” a declaração do deputado federal Eduardo Bolsonaro, de que o governo pode recorrer a “um novo AI-5”, se “a esquerda radicalizar”. O presidente do Senado continuou: “mais do que isso: é um absurdo ver um agente político, fruto do sistema democrático, fazer qualquer tipo de incitação antidemocrática. E é inadmissível essa afronta à Constituição”, ressaltou. Leia a íntegra da Nota à Imprensa de Davi.

Omar Aziz observou ainda que Eduardo é deputado federal e Jair Bolsonaro é presidente da República justamente por o Brasil ser uma “democracia plena em que o povo pode votar, em que o povo pode escolher”. Para Omar Aziz, o deputado cometeu um “equívoco profundo: é uma pena que vossa excelência traga à baila um negócio tão ruim para o país, para a democracia. Não se esqueça, deputado Eduardo Bolsonaro: a democracia proporcionou que hoje nós tivéssemos um capitão reformado presidente da República. Foi o voto direto. Não foi o AI-5, não! Pelo AI-5, seria o general Heleno, seria outro general, menos um capitão. Por isso, eu te perdoo, Eduardo Bolsonaro, porque você não sabe o que está falando. Você está conspirando contra o presidente Jair Bolsonaro quando você insinua o AI-5. Você não sabe que, a partir do momento em que se decretar o AI-5 no Brasil, o Congresso é fechado, e o presidente não será um capitão, será um general”, concluiu Omar.

Fonte: Agência Senado

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *