Galvez confronta “Amazonês” com Samba, Bossa Nova e Choro entre Nicolas Jr. e Junior Rodrigues

Nesta terça-feira, 20, o espaço cultural Botequim Galvez inaugura um novo projeto que valoriza os compositores amazonenses ou de outras naturalidades, mas em atividade no Amazonas. O lançamento será comandado pelos conhecidos e queridos Nicolas Jr e Junior Rodrigues! E começa cedo, às 20h.

Nascido em Santarém (PA) e criado em Terra Santa (PA), onde conviveu no dia-a-dia do povo, Nicolas Jr. veio pra Manaus pra estudar e trabalhar, até começar a compor e cantar. Nicolas lutou muito na vida pra chegar a ser conhecido e ser querido em Manaus e no interior. Ele é conhecido como representante do gênero “amazonês”, que retrata o cotidiano dos amazonenses a partir de letras que os identificam por meio de peculiaridades, como o linguajar, hábitos e a gastronomia, dentre outros aspectos da cultura baré.

O jornalista Paulo André Nunes, do jornal A Crítica, publicou entrevista com Nicolas em que o artista conta como foi a vida desde que chegou em Manaus. Lá pelas tantas, Nicolas vai ao muito ouvido programa da grande figura Joaquim Marinho. O artista diz: “Na terceira música que eu toquei, no ar, eu juro, ele virou pra mim e disse, em tom sério: ‘Ô rapaz, você não tem uma coisa que preste aí, não? Esse seu disco é muito ruim’. Me desconcertei. Aí eu já tinha feito a canção ‘Geisislaine’, que é uma música que conta uma história de amor com personagens da periferia de Manaus. Eu disse pro Marinho que tinha uma música, e ele falou ‘então toque’. Relutei, mas ele insistiu. E eu toquei os versos ‘Ó Geisislaine, Geisislaine meu amor’. Quando eu terminei de cantar, vi as três linhas de telefone congestionadas, com as pessoas querendo saber que música era essa e onde tinha pra comprar. Aí o Marinho falou: ‘Eu não te falei? Tá aqui a tua linha de trabalho’. Aí eu abandonei tudo e foquei na linha de trabalho do cotidiano amazonense. Ele me apresentou ao Aldízio Filgueiras, poeta maravilhoso, e foi assim que surgiu um trabalho chamado ‘Divina Comédia Cabocla’, que foi um disco que realmente vendeu e puxou os outros discos.”

E continua. “Depois veio ‘Viagem Insólita de um Caboclo’. Depois (…) tive a ideia de fazer a ‘Divina Comédia 2’. Mas aí pensei ‘será que vai dar certo?’, pois a tendência é sempre que o melhor filme é o primeiro. Mas tentei, e o segundo puxou ‘Amazonês’, ‘Feira da Panair’ e ‘Rubenilson’. Emplacou. E lá se vão sete discos que vendem muito bem e tem uma aceitação boa. Hoje todo mundo baixa essas plataformas como Spotify, onde tenho metade da minha obra musical, e outras”.

Junior Rodrigues

Junior Rodrigues é muito conhecido do público amazonense desde os tempos que participava do grupo Ases do Pagode, fazendo muito sucesso nas casas de show de Manaus. Hoje, o sambista e compositor segue carreira solo com muitas apresentações na capital e no interior, como disse o jornalista David Almeida no portal Blog da Floresta, por ocasião do lançamento de CD do sambista, no Teatro Amazonas, com participações especiais de Assis Almeida e o cantor e compositor acreano Sergio Souto.

O sambista tem 30 anos de carreira. Tem três CDs e um DVD gravados. Além de Ases do Pagode, Rodrigues foi membro também do grupo Esquadrões do Samba. Cantor e compositor de qualidade, ele tem músicas gravadas por Alcione e Jorge Aragão. Além de samba, Rodrigues Junior toca e canta bossa nova e chorinho.

Assim, Nicolas Junior e Junior Rodrigues fazem hoje à noite espetáculo de muita alegria com muito boas músicas.

Foto: Divulgação/Galvez

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *