Ministro da Economia usa inflação para prejudicar Zona Franca, diz Zé Ricardo

“Paulo Guedes usa inflação para atacar Zona Franca de Manaus e não o problema principal”, afirma Zé Ricardo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, está pretendendo conter a alta da inflação do atual governo, reduzindo em 10% o Imposto de Importação (II) usado pelo Mercosul no comércio com outros países, sobre  produtos e insumos vindos do exterior, já para o ano de 2022. A prévia da inflação para o mês de setembro está em torno de 1,4%, maior patamar desde 1994. Para o deputado federal Zé Ricardo (PT/AM), reduzir Imposto de Importação é atacar, mais uma vez, a Zona Franca de Manaus (ZFM), ao promover ainda mais a abertura de mercado, tornando o produto importado mais competitivo frente ao nacional, gerando mais desemprego, aumentando a crise e a fome no país e no Amazonas.

Essa medida não ataca o problema principal. Sendo concretizada, irá atingir todos os segmentos da indústria nacional. Vamos ter uma série de consequências, agravando ainda mais a economia do país e do Amazonas. Primeiro, será a geração de empregos em outros países e depois a desindustrialização, quando se deveria apoiar neste momento as grandes, médias e pequenas e micro empresas brasileiras. Mas o governo quer fazer o contrário, aumentando a dependência de importações. Para o Amazonas, a situação é dramática, podendo gerar muito mais desemprego. Algumas empresas da ZFM já paralisaram as suas atividades, por conta das indefinições do atual governo”, criticou Zé Ricardo.

Para ele, deve-se mudar a política de preços dolarizados da Petrobras, que atinge diretamente as indústrias brasileiras, com aumentos descontrolados da gasolina, do gás de cozinha, dos combustíveis de um modo geral. “Isso também tem influência na cadeia produtiva, afetando as indústrias. Como também o aumento quase que mensal da energia, resultado da privatização, e que também acarreta em mais custos e despesas para os setores industrial e comercial”.

O deputado disse ainda que não consegue entender como um governo cria empregos no exterior, quando no país existem mais de 14 milhões de pessoas desempregadas, precisando trabalhar. “É aqui que precisamos de emprego. Vamos continuar defendendo a Zona Franca e os empregos no país e no nosso Estado. Por isso, o povo vai às ruas no próximo dia 2/10, dizer não a esse governo. Fora, Bolsonaro!”, proclamou o petista.

Fonte e foto: Assessoria de Comunicação do deputado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *